Buenovel

Baixe o livro no aplicativo

Download
CAPÍTULO 11

As viaturas estavam posicionadas da forma que impedisse demais veículos de passarem por ali, como se fomos um bando de assaltantes ou algo do tipo. Não sabia quem tinha ligado, mas as lanternas e o barulho da janela sendo quebrada foi motivo suficiente para qualquer vizinho chama-los. Não os culpava por isso, teria feito a mesma coisa. Várias pessoas tinham saído de sua casa em plena madrugada para ver quem eram os arruaceiros que tinham invadido a casa da doce velhinha. Não sei se foi decepção ou surpresa o que vi nos olhares das mulheres agarradas aos seus robes que saiam na porta de casa e logo depois retornavam.

— Eu já disse que não roubei nada... ei, não coloca a mão no meu saco! – Bille estava passando nesse exato momento pela revista, revoltado por estar sendo tocado ele esbravejava. O policial olhou para ele desconfiado. — Eu só tenho um não me olhe como se eu fosse uma aberração.

Não sei como ele não recebeu um soco do policial, pr